domingo, 12 de outubro de 2008

poema que meu filho me deu de presente de aniversário em 08/10

PRESENTE

Pai,
Arvore na qual sua semente,
Ao vento lançou,
Jogando-me à terra fértil.
Da terra a qual me guardou,
Sem falta alguma,
Você cuidou.
A muda jovem,
Regou de amor,
Sem pensar em seus frutos,
E sim,
Se em uma grande arvore se tornará.
A muda,
Uma planta virou,
Deu suas primeiras flores,
Para lhe oferecer o mais saboroso fruto,
Feito com o néctar do amor,
E a essência do consolo.
Minha fotossíntese,
Só ocorre com teus calorosos raios,
E tua seiva,
Percorre em meus galhos.
Em meu tronco,
Quatro simples e bonitas palavras escritas,
Que não precisa de explicações para se entender:
Pai, eu te amo

2 comentários:

Ianah disse...

Que lindo tio!! Tu deve ter endoidado quando leu eim?
Oh aí... a poesia ta no sangue!!
beijos

Boris disse...

Parabéns ao jovem Poeta!O rebento teve a quem puxar!!um forte abraço
de MisterBoris.
http://recanto das letras.uol.com.br/autores/misterboris